Conheça o país carbono-zero


No botão é proibido fumar

O pequeno Reino do Butão, encaixado entre os gigantes China e Índia, equilibrado no extremo leste dos Himalaias, é um local de paisagens impressionantes. Planícies subtropicais, montanhas íngremes e vales luxuriantes, têm atraído cada vez mais amantes do turismo de natureza. O que também ressalta neste reino budista é o compromisso ecológico.

O primeiro ministro do Butão, Lotay Tshering Tobga, afirmou numa conferência TED Talk em 2016 que “os nossos monarcas iluminados foram incansáveis ao trabalhar para o desenvolvimento do nosso país, no cuidado de encontrar um equilíbrio entre o crescimento económico e o desenvolvimento social, a sustentabilidade ambiental e a preservação cultural, tudo isto dentro do enquadramento da boa governação”. E não se trata de palavras vãs. O rei Jigme Singye Wangchuck criou o índice de Felicidade Interna Bruta baseado em 4 quadrantes: desenvolvimento sustentável, protecção ambiental, preservação cultural e boa governação.

Não se trata de saber quem ri mais ou quem se diz mais feliz. É uma abordagem holística que analisa o contentamento, controlo da mente, controlo dos desejos na vida. Não ter ciúmes dos outros, ser feliz com o que se tem, se compassivo, formar uma sociedade onde cada um possa ser mais do que feliz em compartilhar. Ainda segundo Lotay “o nosso rei chama, correctamente, à Felicidade Interna Bruta, desenvolvimento com valores. Se a política não tiver um bom índice de felicidade, se a política não for favorável ao meio ambiente, se a política não for capaz de garantir que resultará no bem-estar do Butão, essa política nunca será aprovada”.

O Centro de Estudos do Butão é a entidade responsável por administrar as pesquisas de Felicidade Nacional. Este Centro mede nove áreas-chave de felicidade a cada 5 anos: bem-estar psicológico, saúde, educação, boa governação, ecologia, uso do tempo, vitalidade da comunidade, cultura e padrões de vida.

O Banco Mundial considera o Butão uma história de sucesso no desenvolvimento, na redução gradual da pobreza, na melhoria da igualdade de género, assim como na estabilidade política e económica.

Apesar do contributo de vários factores de ordem natural, como a localização geográfica, ou a baixa densidade populacional, a consciência política e a boa governação têm contribuído de forma decisiva para o sucesso deste pequeno país. Como diz o seu primeiro-ministro, “não colocamos os interesses pessoais acima dos interesses nacionais”.

Fernando Cardoso

Comentários(0)

Log in to comment